Reflexão Claudicante

I – Aquele detalhezinho, ele mesmo

Eu não tenho / Eu não posso / Eu não sou

Mas…

Posso ter / Posso poder / Posso até ser

Eis a questão.

Lembrar que posso ter mas não tenho? Que até poderia poder, mas não posso. Que muito mesmo seria, mas não sou. E ainda assim, dar-me por contente?

O pensamento não tem limites. Pensa até Deus, mesmo que não consiga exatamente …

Continuar a ler

Mediocridade, Crime e Castigo

Sossego? Só se por alguns instantes. Naquele intervalo entre comemorar a chegada da noite de sexta-feira e se preocupar com o que fazer no final de semana, talvez. O fato era que Eleutério constantemente achava que algo estava faltando. Que deveria fazer mais. Que, na eventualidade de ter algum tempo livre, deveria ocupá-lo com coisas importantes. Sentia que seus segundos eram valiosos demais para serem gastos apenas com o prazer …

Continuar a ler

Diário de Caraíva – Casa Simples

10/01/2018 – Casa Simples

A casa é uma casa simples. Daquelas que têm bem só o básico mesmo. Sem forro no telhado, piso de cimento pintado. De paredes com cores esmaecidas. Cada uma de uma cor diferente, porém todas elas esmaecidas de uma maneira impressionantemente uniforme.

É preciso ficar sozinho para se encontrar, mas o outro é necessário para que você se veja, o tal espelho. Nada fácil essa individuação

Continuar a ler

Morar na praia 2.0: “Slow life”?

Devagar? Não sei… Uma vida com mais paciência, talvez. Talvez porque ainda não sei se serei capaz de esperar esse nível de despreocupação chegar. Para então conseguir fazer uma coisa de cada vez. Alcançar a serenidade necessária para saber que cada coisa virá em seu justo momento. E que, nessa vida na praia, o “tudo ao mesmo tempo agora” será oficialmente impossível.

Mas onde não seria?

Quero ter calma para

Continuar a ler

Desapego

É preciso experimentar das pequenas tristezas. De braços abertos. Senão, quando ela vem por inteiro, assusta. É bom ser positivo. Tentar achar caminhos. Fazer experimentos mentais. Porém, tem hora que é melhor ficar parado, e esperar o vento mudar de direção. Mas e andar para trás? Também vale a pena? Se num beco sem saída, é a única opção. E o que seria da vida sem a exploração dos becos, …

Continuar a ler