“Ser humano e não um pássaro” ou “Rumo ao vento versão 2.0”

Primeira entrevista com um psicanalista. Sentam-se frente a frente. Trocam algumas amenidades e então vem a pergunta: o que o entrevistado esperava daquela análise?

Ele não queria que muita coisa mudasse não. Queria apenas ter um pouco mais de confiança de que um dia não iria se arrepender das decisões que vinha tomando.

Essa confiança pode existir?

Pode.

Mas seria realmente útil?

A vontade, na verdade, era a de aproveitar …