Sublime e Assustador

É bem verdade que Caraíva já muito se diferencia daquela que primeiro conheci há uns 20 anos. Aquela em que não havia ruas, apenas umas casinhas espalhadas quase que a esmo. E essas casinhas ainda eram iguais às tais pintadas pela Duca. Não tinha energia, mas não fazia muita falta porque não precisávamos carregar celulares. As décadas passaram, terrenos ficaram escassos, a eletricidade veio e ouvi dizer que às vezes …

Morar na praia 2.0: “Slow life”?

Devagar? Não sei… Uma vida com mais paciência, talvez. Talvez porque ainda não sei se serei capaz de esperar esse nível de despreocupação chegar. Para então conseguir fazer uma coisa de cada vez. Alcançar a serenidade necessária para saber que cada coisa virá em seu justo momento. E que, nessa vida na praia, o “tudo ao mesmo tempo agora” será oficialmente impossível.

Mas onde não seria?

Quero ter calma para

Liberdade?

Liberdade sempre me pareceu um valor fundamental. Não sei se o valor fundamental, claro. Conforto também é bom, mas parece que antagoniza. Cada vez que me responsabilizo por uma decisão tomada, abro mão da comodidade que teria se pudesse culpar outrem por qualquer coisa que viesse a dar errado (um alívio que, não obstante, não me impediria de vivenciar as más consequências do que quer que tenha dado errado).

A …

Morar na praia

A cidade é a causa e a solução de todos os nossos problemas. É um jeito que eu entendi O Mal-estar na Civilização, do Freud. Os seres humanos precisam conter seus instintos para conseguir viver em sociedade, que cria a rede de suporte que nos ajuda a ser feliz. Mas ao contermos nossos instintos, somos infelizes.

São Paulo tem o lado empreendedor, ambicioso. Eficiente: gera riqueza. Pode-se dar ao luxo …